︎


Exposições | Exhibitions





I INAUGURAÇÃO / SOFT OPENING |  24  SETEMBRO 2020   


André LEMOS | A Bombordo; Os Robustos e Descontinuados
Desenhos inéditos a tinta-da-China sobre papel

André Lemos é um desenhador. Ainda que no seu percurso tenha aflorado classes e categorias do desenho que assumam outros nomes mais precisos - banda desenhada, ilustração, arte mural, cartoon editorial, graphzines -, em toda a sua produção preside a manualidade, a imediaticidade e urgência do desenho, agregando-os por um mesmo corpo.

Trabalhando usualmente por séries, mais ou menos presididas por um tema ou princípio, os desenhos "A Bombordo; Os Robustos e Descontinuados" parecem perseguir uma anomia, pela sua variedade de assuntos, composições, ângulos, unidade de estilo, presença de personagens, textos, cenas identificáveis enquanto tal, e forma de interpelação com o espectador. Certos desenhos parecem responder ao hodierno, outros parecem querer alcançar aquilo que fictivamente chamamos "o universal". O maquínico convive com o orgânico, o gráfico com o onírico, o satírico com o admoestante, o ilustrativo com o automático. Se o desenho é uma forma de pensar o mundo, Lemos quer pensá-lo todo.

Tendo experimentado muitas técnicas ao longo da sua carreira, inclusive e mais recentemente a colagem digital, os trabalhos apresentados nesta exposição foram criados a tinta-da-China sobre papel, exclusivamente para a Tinta nos Nervos. E numa prática que recorre à mais antiga e espraiada das tradições, do desenho a pincel, o gesto e a voracidade alia-o a uma constelação de referências dessa indisciplina material e de atenção, irmanando-o, nessa incessante avidez de captura, a Leonardo e Delacroix, Shi'tao e Hokusai, Georg Grosz  e Anni Albers, Philip Guston e Saul Steinberg e Brett Whiteley e Raymond Pettibon.

Se se compreender que nenhum desses trânsitos é paradoxal, ilumina-se a justeza descritiva do título.
  




 
Mark